quinta-feira, 25 de março de 2004

Depois de as bandas ...

Acho que depois de as bandas passarem por este processo psicológico que o Valdemar fala é necessário darem-se muitos concertos. Para isso dava jeito locais mínimamente apropriados para tocar (quero dizer, sem ter a polícia 5 minutos após o início do concerto), ou pelo menos, a boa vontade dos donos desses locais. Há uns que dão bar aberto, mas eu pessoalmente prefiriria um pequeno caché que desse para compensar as cordas e a baquetes que se compraram para dar o concerto, 25 euros é bem suficiente para cobrir estas pequenas despesas e permitir que as bandas mais novas "trabalhem".

Com isto podemos dar lugar a objectivos com um prazo mais alargado do que o actual. Quando deixam de haver possibilidades de concertos ou de outras actividades costuma haver atrofios mentais e desmotivações que levam ao fim das bandas.

Para quem não sabe, dá imenso trabalho preparar um concerto por si só. Há 2 grandes problemas: o primeiro é o transporte do material. O segundo é se o material que a banda possui é adequado ao local do concerto (geralmente os locais não têm material próprio de amplificação ou não é adequado (ex. mesas de DJ em vez de mesas de mistura, fraca potência, salas sem tratamento acústico, etc)). Isto sem falar do conhecimento técnico que um concerto envolve e não falo de ligar cabos e acertar volumes. Enfim...

Penso que isto resume algumas das dificuldades que os "fazedores de barulho" têm de passar. Certamente não é fácil ultrapassar mas talvez com mais união e vontade poder-se-ia fazer muito mais.

Estes são os meus 5 cêntimos.