quarta-feira, 29 de julho de 2009

Discutir a Camacha - Largo da Achada

Mais uma vez aumenta o ruído em torno da nossa Vila. Não só pelo aproximar das eleições, mas também pelas reportagens do DN, que sempre espicaçam a discussão.

Como sempre defendi ideias em lugar de ataques a pessoas ou instituições, aqui fica o meu contributo, mais uma vez.

Largo Concelheiro Aires de Ornelas, a nossa "Achada"
Em nenhum outro lugar na Madeira se encontra um centro como o nosso, com este espaço amplo e com grande potencialidades, para lazer, para a realização de festas e muito mais.

Também nenhum outro terá sido alvo de tanta discussão, nem nenhum outro terá uma carga histórica tão importante. Desde o Futebol, ao Hóquei em Sapatilhas e em Patins e o Futebol de Salão, muitas estórias de alegria, muitas conquistas, muito aconteceu aqui!

É natural que as marcas do tempo se notem e que a população anseie por intervenções que modernizem a Achada, mas o que realmente queremos no nosso centro?

Defendo que se mantenha a achada como jardim, redefinindo-os com o retirar de barreiras físicas e deslocando-os mais para junto à estrada, libertando mais espaço contínuo no interior, onde se deve procurar manter o estilo do chão, com as pedras lisas de geométrica diversa, esteticamente muito interessante, embora tenha de ser completamente renovado para garantir um piso plano e continuamente liso.

Um jardim cuidado, como tem sido pelos nossos dedicados jardineiros, com mobiliário urbano adequadamente moderno, que permita desde o simples relaxamento ao usufruir comodamente da rede de internet wi-fi.

Dignificar o monumento ao Futebol e ao Concelheiro, juntando outros ligados ao artesanato do vime e à cultura popular, melhorando a iluminação para evitar o malfadado vandalismo.

Vejo a minha Achada com um poli desportivo ampliado, que permita mais e melhores actividades. Talvez até seja possível uma cobertura, aproveitando as árvores de grande porte para reduzir o impacto da estrutura e quem sabe balneários.

Julgo que seria importante, também, redefinir o trânsito automóvel, permitindo que se estendesse o jardim para uma das extremidades. A acontecerem intervenções no espaço da Quinta Beam, esta visão pode muito bem ser viável.

No fundo, vejo a achada modernizada mas sem perder o carisma que tem. Podem apelidá-la de antiga, mas está carregada de simbolismo que não podemos perder em troca de um espaço moderno mas atípico...
Enviar um comentário