quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O que falta à Camacha como "Capital da Cultura"

Camacha, "Capital da Cultura". O desenvolvimento da nossa Freguesia não passa apenas por aqui, mas é um ponto fulcral e o que nos relança no panorama regional, mas não só.

Falta a remodelação da Achada, sim. Falta tornar o nosso centro num espaço melhorado, mantendo a traça de espaço verde, dando mais destaque ao primeiro lugar onde se jogou Futebol em Portugal, revitalizando o ringue, melhorando os acessos ao WC e outros pormenores.

Falta o Auditório, já com local definido e com projeto elaborado conjuntamente por todos os os grupos culturais da Camacha.

Falta ainda o Mercado e mais estacionamento, mas isso está incluído no projeto do auditório.

Culturalmente, falta ainda uma sede ao Grupo do Rochão, que tem mostrado uma crescente dinâmica e a recuperação e reconversão da "Casa Etnográfica", espaço com grande potencialidade como espaço museológico, mas também de exposições temporárias.

Falta mais, sim, mas parecem-me os pontos fulcrais para o desenvolvimento sustentado da "Capital da Cultura".

Termino olhando para o futuro imediato e para as decisões que aí vêm, já domingo. Analisando o percurso, as ideias e propostas, é óbvio que o Jorge Baptista está atento e conhecedor, reuniu com entidades culturais e liderou algumas intervenções importantes nos últimos 8 anos, como a recuperação e adequação do auditório da Casa do Povo da Camacha.

A equipa PSD assume o compromisso de apoiar a cultura e sabe como fazê-lo, em contraponto com a lista concorrente que nem reuniu com entidades e publicamente mostra-se contra a remodelação da Achada e desconhece a necessidade de um auditórios e das restantes ideias que aqui expus.

Os tempos são de contenção, mas essa é apenas uma razão mais para acreditarmos em quem demonstra estar atento, conhecedor e capaz de realizar os anseios da população.
Enviar um comentário