segunda-feira, 30 de março de 2009

Tradição do "Espírito Santo"

Uma vez que vou referir-me à religião Católica, começo por afirmar que fui educado com os seus valores mas não tenho hábito de "ir à missa".

A vinda de um novo Padre para as Paróquias da Camacha trouxe, naturalmente, algumas mudanças. Foi notório o aumento de fiéis a assistir às Missas e registo com agrado o aumento da dinâmica das nossas Paróquias.

Sempre que algo muda, surgem reacções favoráveis e contrárias, algo perfeitamente natural e positivo quando promotor de discussão de ideias e temas.

Uma das mudanças que mais discussão parece provocar é a alteração das datas e dos dias das visitas Pascais. Com todo o respeito devido, aqui junto a minha discordância pela mudança, pois julgo não ser positivo esta configuração anunciada.
http://www.paroquiadacamacha.com/web/index.php?option=com_content&view=article&id=41&Itemid=52

As mudanças contemplam que as visitas aos Salgados e Ribeiro Fernando não se façam no Domingo de Páscoa, passando a visita à Ribeirinha para um Domingo, também. Resultado destas alterações, as visitas à Achadinha e ao Rochão passam a ser feitas no mesmo dia.

Ora isto mexe com as tradições da Camacha...

Concordo que o Domingo de Páscoa seja de convívio familiar e rejubilo Cristão e que se reagende a visita dos Salgados e Ribeiro Fernando para o domingo seguinte, o que até resultará numa maior participação de fiéis nas celebrações religiosas do dia.

Mas no caso da Ribeirinha, não posso concordar. Há muitos anos que o Pe. João Ferreira falava em alterações deste género, mas por ter optado pela via do "referendo", correcto e democrático, percebeu que a vontade da maioria dos fiéis da sua paróquia, era pela manutenção da tradição.

Portanto, perante a vontade expressa do povo, algo tão tradicional como a "segunda-feira da Ribeirinha" permaneceria inalterado.

Em favor da alteração está o facto de ser dia de trabalho, o que provoca alguns constrangimentos, mas a maioria dos fiéis votaram pela sua continuidade e é uma forte tradição característica e única da Freguesia da Camacha.

Esta tradição é amplamente reconhecida, como podemos verificar no site www.agencia.ecclesia.pt
"Visitas pascais anunciam Jesus Ressuscitado na Madeira
(...) nas paróquias da Tabua e da Camacha principiam no Domingo de Páscoa, sendo também tradicional na Camacha efectuar uma visita pascal na Segunda-feira.

Têm ritos próprios que, contudo, podem variar consoante as tradições das respectivas paróquias. Todavia os símbolos são idênticos em todas as comunidades paroquiais: as bandeiras, a coroa e o ceptro que são transportados pelos elementos que efectuam aquelas visitas.(...)
"

Achadinha e Rochão
Na Camacha, a tradição do Espírito Santo é fortemente vivida em família. É com alegria que as pessoas recebem familiares e amigos, mesmo em tempo de maiores dificuldades financeiras. Ter a casa cheia é um orgulho e satisfação.

Infelizmente aa visitas aos Sítios da Achadinha e Rochão estão agendadas para o mesmo domingo. Sendo dois Sítios de grande dimensão e com muita população, vão quebrar-se tradições e hábitos de visita e convívio, gerados e solidificados ao longo de muitos anos, sem nunca perder força.

Naturalmente que discordo e sugiro que, a haver junção de dois Sítios, que seja o Rochão com o Ribeiro Serrão, por este último ser de menor população.

Terminando, reafirmo que considero muito positiva a acção do Pe.Duarte, que trouxe nova e forte dinâmica às nossas paróquias, reaproximando os fiéis. Contudo não estou de acordo com algumas alterações nas visitas do Espírito Santo e já lho fiz saber. Nada disto desmerece o trabalho que está a desenvolver, mas espero que tenha em maior conta as tradições da nossa terra, afinal tão diferente de todas as outras e Capital da Cultura Tradicional da Madeira.

Uma palavra aos leitores. Espero que participem activamente, com as vossas sugestões, críticas e opiniões, favoráveis ou não, mas com o devido respeito e elevação que o assunto e as pessoas envolvidas merecem.
Enviar um comentário